As embalagens de chocolates, como de qualquer outro produto, são projetadas para ganhar sua atenção nas prateleiras das lojas. Elas devem passar informações com clareza e, ao mesmo tempo, te encantar com o que te oferece. Cada vez mais vemos embalagens de chocolates lindas, algumas cheias de informações e outras com visual mais clean, com poucos dados. Mas o que será que realmente importa?

Veja as fotos de algumas embalagens e o que as marcas mostram na frente.

Algumas informações são importantes e ajudam na decisão de comprar um chocolate de qualidade, enquanto outras, na prática, não influenciam, mas podem ser interessantes principalmente para quem quer conhecer mais sobre chocolates. Depois de ler centenas de embalagens nos últimos anos e ter decidido pela compra de dezenas de chocolates, os itens abaixo são os que eu considero quando me deparo com uma marca nova. Claro que quando já conheço a marca, nem tudo isso é necessário ler. Nada disso é regra, esse post é apenas a minha opinião.

As informações importantes dos melhores chocolates

  1. Ingredientes: Para mim, é o mais importante de tudo. Poucos ingredientes, cacau no início da lista, açúcar nunca no primeiro lugar dela e sem nada de gordura que substitua a manteiga de cacau e sem ingredientes artificias;
  2. Validade: Quanto mais fresco, melhor. O ideal é que a validade seja o mais longe possível da data da compra (assim dura mais, kkk!);
  3. A porcentagem de cacau. Com tantas opções de chocolates, sempre prefiro as que tem essa indicação, inclusive para os brancos e ao leite (geralmente só informadas nos chocolates bean to bar).
  4. Quando é um chocolate de origem, claro, a origem do cacau é a informação mais importante;
  5. Peso: importante apenas quando vou comparar preço relativo com outro (faço R$/gr para cada um);
  6. Quem produziu o chocolate e onde: Nem sempre é a própria marca que produz o chocolate e a informação pode estar ali (não tem problema se não é a própria marca que produziu o chocolate, mas eu gosto de saber quem fez);
  7. Alergênicos: eu não tenho restrições a alimentos, mas para quem tem, esse é um item importante. É obrigatório aparecer junto com a lista de ingredientes, mas algumas marcas indicam “sem glúten”, “sem lactose”, “sem soja”  ou “vegano” em destaque na frente da embalagem. Pode ser interessante para quem quer encontrar rápido estas opções.

As informações interessantes

Elas podem complementar as informações acima, mas sozinhas não influem nas decisões de compra.

  1. Nome: geralmente tem relação com os ingredientes, por exemplo a porcentagem ou origem do cacau ou as eventuais inclusões. Acho divertido quando uma marca dá nome diferente da descrição dos ingredientes. Veja foto abaixo.
  2. Termos como “bean to bar” (e suas traduções), “tree to bar” e “chocolate de origem”  para mim são super interessantes, já que tendem a ser meus chocolates preferidos, mas só se forem complementados com mais detalhes, pois não existem definições oficiais para eles e às vezes tem sido usados com conceito diferente do que eu acredito. Por exemplo, para mim só tem sentido ser bean to bar se a lista de ingredientes não tiver gorduras vegetais e nem aromatizantes (sejam naturais ou artificiais);
  3. Variedade do cacau e safra: ainda pouco divulgados, são interessantes para fazer comparações do tipo o mesmo chocolate em safras diferentes (assumo que isso é coisa de choco-nerd mesmo!);
  4. Informações nutricionais (tem gente que vai achar isso importante, mas para mim devem apenas estar ali, não deixo de comprar algo por isso);
  5. Selos de premiação. É bom saber que o chocolate já foi provado e aprovado por outras pessoas, mas a falta do selo não significa que ele não é bom, ele pode não ter participado de competições. No caso do Prêmio Bean to Bar Brasil, que eu organizo, há um limite no número de premiados, então mesmo chocolates bons podem ficar sem prêmio. Além disso, há um limite de barras que a marca pode inscrever (eram 3 em 2019), então marcas que tem vários produtos acabam deixando vários de fora da competição. Além disso, ser premiado não garante que você vai concordar com os jurados e que vá gostar mesmo do produto;
  6. História da marca ou do produto e como ele é feito, bem como onde conseguir mais informação (site e redes sociais).
  7. Selos de orgânico: acho bom saber se tem, mas para mim em termos de chocolate ele não é fundamental, não compro ou deixo de comprar por causa de um selo assim. No entanto, entendo que para muitos isso é um fator importante.

 

Reparou nos nomes? In-nib-itable, Mitzi Blue, Fortissima, Toscano Red, São Jorge dos Ilhéus, Rustic Crunch e Épique. 🙂

Informações totalmente irrelevantes

Aquelas que algumas empresas colocam nas embalagens para chamar a atenção, mas que na prática não significam muito por serem frases ou adjetivos genéricos, subjetivos ou questionáveis:

  • “gourmet” ou “premium”: esses termos perderam o sentido depois que produtos sem qualidade os usaram,
  • “rico em nutrientes”: o cacau é rico em nutrientes, o chocolate nem sempre, pois depende dos ingredientes e como foi produzido;
  • “saudável”: depende da sua definição de saudável (para mim chocolate por si só não se encaixa na definição de saudável, mas pode fazer parte de uma dieta saudável, então não curto ver esse termo numa embalagem de chocolate). ;
  • “fitness”: acho difícil um alimento que tem mais de 35% de gordura ser fitness, então para mim isso é propaganda enganosa;
  • “irresistível”, “o melhor”: bem subjetivo, melhor para quem, né?
  • e coisas do gênero.

Conclusão

Pode ser chato ler a embalagem dos produtos que a gente compra, mas quando existem muitas marcas à disposição, esse é o melhor caminho para fazer escolhas conscientes.

Tem algo mais que você acha importante ou interessante ler numa embalagem de chocolate? Conta para a gente aí nos comentários!

 

Assine a Newsletter e receba em seu email novidades sobre chocolates!