Nada como um chocolate fresquinho, feito com matérias-primas de qualidade e que acabou de sair da produção. No entanto, na maioria das vezes, os compramos após um certo tempo que estão na prateleira. Eventualmente o chocolate pode estragar mesmo dentro da validade, caso não seja armazenado corretamente.

Chocolate é um alimento sensível a mudanças de temperatura, à umidade e a cheiros, e também, em menor grau, à luz e ao ar, e deve ser armazenado longe dessas condições.

A gordura do chocolate tem a capacidade de absorver odores, agradáveis ou não. Grande parte do sabor de um alimento é sentido através do seu aroma. Por isso não sentimos o gosto das comidas quando estamos com o nariz entupido. Então, se um chocolate “pegar” cheiro de qualquer coisa ao seu redor, certamente você vai sentir seu sabor alterado.

Umidade e calor alteram a estrutura interna do chocolate, provocando respectivamente a separação do açúcar (o sugar bloom) e da gordura (o fat bloom), e ambas as condições afetam a aparência, textura e sabor do chocolate, deixando-o esbranquiçado, mas geralmente pode ser comido.

Quando o chocolate fica desembalado, em contato com ar e luz, lentamente a sua gordura começa a se deteriorar, deixando-o com cheiro e sabor desagradáveis.

O chocolate em si costuma ter validade vários de meses, se bem armazenados. Já os bombons e barras recheadas tem suas validades baseadas nos recheios, que muitas vezes levam matérias-primas perecíveis como creme de leite, portanto estamos falando de apenas alguns dias. Caso o recheio seja de sólidos como nozes, a durabilidade é maior.

Validade dos chocolates

Considerando que sejam feitos com matérias-primas de qualidade e sem conservantes, e sejam mantidos embalados e em local seco e fresco:

  • Chocolates puros: validade de meses
  • Chocolates recheados: validade de dias

Consulte a embalagem para cada caso.

Dicas para identificar chocolate estragado

Veja a validade

Quanto mais fora do prazo, mais chances de ter estragado;

Olhe todos os lados do chocolate:

Ele não deve ter sinais de mofo;

Ele não deve estar esfarelando;

Se for bombom, não deve estar deformado (recheios velhos encolhem e podem deformar a cobertura);

Se tiver recheios, sejam barras ou bombons, não deve ter rachaduras (pois o ar pode contaminar certos recheios) e nem ter vazamento de recheio;

Manchas esbranquiçadas não significam que está estragado, apenas que o açúcar ou a gordura se separaram da composição. Dá para comer, mas a aparência é desagradável e o sabor e a textura são afetados.

Cheire o chocolate:

Ele não deve ter odor desagradável ou diferente do esperado.

Experimente um pedacinho:

Ele não deve ter sabor desagradável ou diferente do esperado (na dúvida, não coma, chocolate é para ser bom)

Se tiver nozes ou afins, elas não devem estar murchas ou moles

Ele não deve ter sabor rançoso (que pode acontecer devido a presença das gorduras que todo chocolate tem)

 

bombons estragadosBombons estragados (o recheio encolheu e o chocolate afunda)

Como evitar que o chocolate estrague

A melhor forma é comê-lo, claro! Mas se você quer guardá-lo e evitar que deteriore antes do tempo, mantenha-o embalado e longe de fontes de calor ou frio, de umidade e de odores.

Se você tiver mais alguma dica, compartilhe com a gente aí nos comentários! Chocólatras agradecem.

 

Assine a Newsletter e receba em seu email novidades sobre chocolates!